[sam_zone id=1]

Gwen Stefani – A mistura de sons, tendências e estilos da hollaback girl

2548 0

Gwen Stefani se tornou famosa como vocalista da banda No Doubt e conquistou o mundo em carreira solo com seus próprios estilos musical e fashion

O som novo e agitado dos metais do ska com os solos de rock do No Doubt foram o grande ponto de partida para a bem sucedida carreira de Gwen Stefani. Vocalista de uma das mais populares bandas da década de 1990, a cantora soube tirar proveito da sua popularidade para lançar uma carreira solo que rende frutos até hoje.

Gwen Stefani

Enquanto o restante dos integrantes da sua banda de estreia não parecem ter ter feito muitos outros trabalhos de grande visibilidade, Gwen Stefani manteve sua fama e o seu nome nas manchetes por uma série de motivos; incluindo desde trabalhos musicais até um polêmico divórcio, passando pelo lançamento de uma marca própria e um novo romance sob os holofotes dos paparazzi.  

Quem é Gwen Stefani?

Gwen Renée Stefani nasceu em 3 de outubro de 1969 na cidade de Fullerton, na Califórnia; na região norte-americana conhecida como Orange County.

Gwen Stefani

Vocalista de banda desde o fim da adolescência, ela ganhou fama como a vocalista e única mulher de uma das bandas mais famosas e queridas dos anos 90, tornando-se um verdadeiro símbolo da década e de uma geração inteira.

O início na música

O contato de Gwen com a música começou quando ela e seu irmão, Eric Stefani, formaram a banda Apple Core em 1986; com Eric nos instrumentos e Gwen nos vocais. Após algum tempo, a amizade dos irmãos com John Spence deu origem à banda que que seria o passaporte da cantora para o estrelato.

Gwen Stefani nos anos 90

Acrescentando (além de John, no vocal) Jerry McMahon (na guitarra), Chris Leal (no baixo) Gabriel Gonzales (no trompete), Tony e Alan Meade (no saxofone e no trompete), surgiu o No Doubt; que, na época, ensaiava suas músicas na garagem da casa da família Stefani. 

Com pouco tempo de existência e poucas apresentações no currículo, a banda teve Tony Kanal na platéia de um de seus shows e ele acabou entrando para a banda como baixista.

Logo antes de uma importante apresentação – em que uma gravadora teria a oportunidade de ver a banda em ação – o vocalista principal, John Spence, cometeu suicídio; marcando o fim da banda que havia ajudado a criar.

Gwen Stefani e No Doubt

No Doubt

Embora tenha sido desfeita no fim de 1987, o No Doubt voltou à ativa algum tempo depois e, após uma série de mudanças e substituições, assumiu sua formação mais conhecida em  meados de 1993.

Isso já depois do afastamento de Eric e do lançamento do primeiro álbum, homônimo, em 1992 – considerado um fracasso comercial com apenas 30 mil cópias vendidas. Ao lado de Tony Kanal (namorado de Stefani, na época), do baterista Adrian Young e do guitarrista Tom Dumont, Gwen lançou dois álbuns da banda em 1995. 

Gwen Stefani e a banda No Doubt

O segundo deles foi Tragic Kingdom, incluindo hits imortalizados pelo sucesso que colocou a banda para sempre nos holofotes da indústria músical.

Destacando uma série de composições que falavam sobre o relacionamento (já terminado) entre Gwen e Tony, o álbum apresentou singles inesquecíveis como Just a Girl, Spiderwebs, Excuse Me Mr., e Don’t Speak

Com o passar dos anos vieram novos álbuns, novos hits e muito sucesso para a banda. E embora o último disco do grupo não tenha feito tanto sucesso quanto os anteriores, ainda emplacou uma série de singles no topo das paradas. 

Entre os de maior destaque podemos citar, por exemplo: Ex-Girlfriend; Simple Kind of Life, Bathwater; New; Hella Good; Hey, Baby; e Underneath it All, entre outros. 

Gwen Stefani e No Doubt

Embora a banda nunca tenha anunciado oficialmente o seu fim, não lança trabalhos novos desde 2012. Assim, a discografia do No Doubt completa (até o momento) inclui os seguintes álbuns:

  • No Doubt (1992)
  • The Beacon Street Collection (1995)
  • Tragic Kingdom (1995)
  • Return of Saturn (2000)
  • Rock Steady (2001)
  • The Singles – 1992 / 2003 (2003)
  • Push and Shove (2012)

Carreira solo de Gwen Stefani

Ainda enquanto parte do No Doubt, Gwen começou a apostar em uma carreira solo, lançando participações em músicas de outros artistas – como na maravilhosa Let Me Blow Ya Mind, em parceria com a rapper Eve – e, mais tarde, seu próprio álbum.

Embora a crítica tenha considerado os primeiros álbuns solo um tanto confusos quanto ao estilo musical que a cantora seguia, o sucesso foi inegável. 

No primeiro álbum solo, hits como Cool, Rich Girl e Hollaback Girl dominaram as paradas da música de 2004; servindo o último, inclusive, como referência em forma de gíria para todo o público norte-americano.

Lançado dois anos depois, The Sweet Escape foi igualmente bem sucedido, especialmente com a música que deu nome ao álbum; sem contar Wind it Up e Yummy, em parceria com Pharrell Williams

A discografia de Gwen Stefani só ganhou um novo disco dez anos depois, após o fim do seu casamento; o que, de acordo com ela, foi o que lhe despertou criativamente para voltar a compor. 

Gwen Stefani e Pharrell Williams

Com o lançamento de um álbum especial de Natal, de 2017, a obra da cantora completa inclui os seguintes:

  • Love, Angel, Music, Baby (2004)
  • The Sweet Escape (2006)
  • This is What The Truth Feels Like (2016)
  • You Make it Feel Like Christmas (2017)

Entre junho de 2018 e fevereiro de 2020, Gwen teve uma residência no Zappos Theater, em Las Vegas, com o show Just a Girl; que arrecadou mais de US$ 19 milhões com 40 shows.

Vida amorosa de Gwen

Gwen Stefani e Gavin Rossdale, vocalista da banda Bush, formaram um dos casais mais conhecidos e aparentemente estáveis do mundo da música durante cerca de duas décadas. 

Gwen Stefani e Gavin Rossdale

Mas em 2016 tudo mudou de figura e o casal anunciou o fim do casamento que havia dado vida a três filhos: Kingston Rossdale (14); Zuma Nesta Rock Rossdale (11); e Apollo Bowie Flynn Rossdale (6).

Embora boatos de traições já tivessem rondado o casal em meados de 2010 – como na ocasião em que Courtney Love afirmou já ter tido um longo affair com Rossdale enquanto ele já estava com Stefani -; somente anos depois estes rumores se tornaram uma realidade na vida da cantora.

Gwen Stefani, Gavin Rossdale e os filhos

De acordo com Gwen, em uma entrevista recentemente publicada pela revista Cosmopolitan, ela descobriu a traição de Rossdale com uma das babás de seus filhos por meio de mensagens sexuais trocadas entre os dois. E detalhe: as mensagens estavam todas no IPad usado pelos filhos do casal!

Gwen Stefani e Gavin Rossdale

Mesmo não tendo revelado todos os detalhes, Gwen entrou a fundo no assunto nas composições do álbum This is What The Truth Feels Like, lançado no mesmo ano do divórcio. 

Especialmente na faixa Used to Love You, que retrata, justamente, o fim do relacionamento e a decepção pela qual a cantora passou na ocasião.  

Segundo ela, o sofrimento desse período foi longo e intenso. E, com exceção das pessoas mais próximas ou envolvidas, “ninguém acreditaria” se ela pudesse contar, realmente, o que aconteceu.

O romance com Blake Shelton

Jurada do programa The Voice por quatro temporadas (não sequenciais), Gwen esteve na bancada do programa enquanto via o seu casamento com Gavin se acabar. 

Gwen Stefani e Blake Shelton

Na mesma época, o companheiro de bancada Blake Shelton também acabava de se divorciar da cantora Miranda Lambert, com quem havia sido casado por cerca de 5 anos.

Ambos recém-separados, Gwen Stefani e Blake Shelton até tentaram esconder o romance por algum tempo, mas logo assumiram o affair

Gwen Stefani e Blake Shelton

O caso evoluiu para um compromisso sério e dura até os dias de hoje, e rende – além de demonstrações fofas de carinho – parcerias musicais em forma de composições e apresentações especiais. 

Estilo de Gwen Stefani

Além do estilo musical, outro ponto que sempre destacou Stefani foi o seu estilo fashion. Apaixonada pelo street style em geral e por referências das mais variadas, Gwen e o look de cabelo platinado, sobrancelhas negras e boca sempre vermelhíssima sempre foram sucesso.

Gwen Stefani no MET Gala

Aos 50 anos de idade, Gwen continua sendo um símbolo não só de estilo, mas também de beleza e juventude na maturidade; já que continua parecendo conservada no formol.

Entre as mais importantes e marcantes referências da cantora podemos citar, por exemplo, o harajuku; região em torno da estação de mesmo nome, em Tóquio, conhecida pela diversidade fashion e cultural que mistura cosplay, vintage e o moderno.

Gwen Stefani

Prova do amor de Gwen por este cenário da moda é a influência que ele teve em toda a sua atuação musical e fashion, servindo como inspiração para suas roupas e coleções de moda. 

A formação do quarteto de dançarinas chamado de harajuku girls, que dançava com a cantora em sua turnês e era constantemente citado em suas músicas, foi o ponto máximo da declaração de afinidade da cantora com o estilo da região. 

Gwen Stefani e as harajuku girls

No entanto, hoje essas referências apenas rendem uma enxurrada de comentários agressivos da turma delatora da apropriação cultural.

Essa é, com certeza, uma das razões pelas quais a marca de Gwen Stefani, LAMB, foi tão bem sucedida no tempo em que durou. Batizada com as iniciais das palavras que dão nome ao seu primeiro trabalho solo, a marca foi sucesso dentro e fora das passarelas por muitos anos.

Gwen Stefani usando L.A.M.B. eyewear

Mas apesar de ter recebido elogios da crítica especializada, a marca de Gwen Stefani parece não ter mais lançamentos ready-to-wear desde 2015; mantendo-se no mercado, atualmente, com coleções de eyewear.

Imagens: reprodução

In this article

Join the Conversation